Estudo da Distribuição Espaço-Temporal da Floresta do Maiombe no Município de Belize (Cabinda-Angola) entre 2001-2017

Alexandre Orlando António Pimentel, Sérgio Joaquim Fernando Kussumua, Isau Alfredo Bernardo Quissindo

Resumo


DOI

Verifica-se um maior número de superfície de solo ocupado e florestas em clareiras devido ao aumento de habitação, campos agrícolas, exploração madeireira em quase toda África Austral. Belize ocupa maior parte da floresta do Maiombe e pelos recursos existente na floresta tem sofrido com a exploração. Assim, diante das constantes transformações do uso do solo, associada a má gestão de terra levando consigo problemas de âmbito sócio económico, este trabalho visou caracterizar as áreas florestais no município de Belize (Cabinda) com base em variáveis (biomassa, topografia e clima) geoespaciais. Nesta vertente para uma contribuição científica, foram elaborados mapas de uso de solo, cotas de altitudes e precipitação média anual, os mesmos foram elaborados na ferramenta meu compositor de impressão do software Quantum Gis conforme a norma padrão de cartografia temática, para a obtenção das áreas florestais, bem como a sua dinâmica, foi necessário analisar os dados disponibilizados no servidor Global Forest Watch, durante o período 2000-2017. Resultados alcançados foram: o município de Belize apresenta médios a altos valores biomassa florestal, o que está associado a ocorrência de floresta densa; esta floresta distribuí-se por quase todo o terretório do Belize, sendo maioritariamente floresta de terras baixas de acordo com a altitude e floresta densa com base nos valores de precipatação média anual; a análise da dinâmica da vegetação em escala temporal e espacial mostrou que o ganho anual de área florestal no Belize é de aproximadamente 11ha (0,01% da área total) e a perda anual de área florestal de 92ha (0,16%).


Palavras-chave


Uso do solo, floresta, dinâmica florestal, Global Forest Watch.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Buza, A. G. (2011). Enfrentamentos e Contradições nas Comunidades de Extração de Recursos Naturais em Cabinda – Angola. In: R. Pol., v.15, n.1, p. 21-31, São Luís, jan./jun. Copernicus Global Operações de Terra “Vegetação e Energia”” CGLOPS-1” Contrato de Serviço de Vigamento N° 199494 (JRC)

Cabral, A. I. R. at al (2010). Spatial dynamics and quantification of deforestation in the central-plateau woodlands of Angola 1990 e 2009. Applied Geography 31 2010 1185e1193.

Cerqueira, E. C. (2003). SIG aplicado à Análise Sócio-Econômica para Fins Ambientais: O Caso da Bacia do Rio do Cobre, Ba, disponível http://www.cartografia.org.br/xxi_cbc/090-SG26.pdf, capturado 06-2004.

Cruz,.C. I. Vânia., B. G. (2004). Caracterização da colheita florestal .. Sistemas de Informação Geográficos Aplicados À nalise Espacial em Transport, Maio Ambiente e Ocupação do Solo. Rio de Janeiro : CEP. 22290-270.

Dala A. F.at al (2018). Avaliação de taxas de desflorestação no município de buco zau (cabinda) entre (2000-2017) mediante dados do sensor landsat. Chianga-Huambo. Nº de Registo:047/ 2017. Revista digital de Medio Ambiente “Ojeando la agenda”. ISSN 1989-6794, Nº 55 septiembre 2018.

FAO. (2009) Desflorestação: indicadores de Pressão situação resposta. Disponível em: http://www.fao.org/ag/againfo/programmes/pt/lead/toolbox/Grazing/DeforeEA.htm. Acesso em: 25 de Maio de 2012.

GREENPEACE (1999), Face a Face com a Destruição: Relatório Greenpeace sobre as companhias multinacionais madeireiras na Amazónia Brasileira. Disponívelem: . Acesso em: 19 de Maio de 2012.

FAO. 2002.caracterização da colheita florestal . Cabinda : s.n., 2002. Vol 1, P 33.

Fensholt, R., e Proud, S. R. (2012). Evaluation of earth observation based global long term vegetation trends—Comparing GIMMS and MODIS global NDVI time series. Remote sensing of Environment, 119, 131-147.

Frost, P. (1996). The Ecology of Miombo Woodlands. IN: CAMPBELL, B. TheMiombo in transition Woodland and Welfare in Africa. South Africa. p 19 -39.

Giardina, F., Kasasa, S., Sié, A., Utzinger, J., Tanner, M., e Vounatsou, P. (2014). Effects of vector-control interventions on changes in risk of malaria parasitaemia in sub-Saharan Africa: a spatial and temporal analysis. The Lancet Global Health, 2(10), e601-e615.

Hansen, M. C., et al. (2013). High-resolution global maps of 21st-century forest cover change. science, 342.6160: 850-853.

Instituto Nacional de Estatística.(2014) Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH). Angola

Jensen, J. R. (1996) Introductory digital image processing: a remote sensing perspective. 2a. ed. Upper Saddle River: Prentice-Hall.

Nema, Pragya; Nema, R. K.; Rangnekar, Saroj. (2002). A current and future state of art development of hybrid energy system using wind and PV-solar: A review. RenewableandSustainableEnergyReviews, 13.8: 2096-2103.

Palacios, G., et al (2015) Spatial Dynamic and Quantification of Deforestation and Degradation in Miombo Forest of Huambo province (Angola) during the priod (2002-2015). SASSCAL project procedings. Huambo, Angola. 182pp.

Ribeiro, N.; Sitoe, A. A.; Guedes, B. S. Staiss, C. (2002). Manual de Silvicultura Tropical. Universidade Eduardo Mondlane, Faculdade de agronomia e engenharia Florestal, Departamento de engenharia Florestal. Maputo . FAO, Projecto GCP/Moz/056/Net.

Sano, Edson Eyji; Barcellos, A. de O.; Bezerra, Heleno da Silva (1999). Área e distribuição espacial de pastagens cultivadas no Cerrado brasileiro. Planaltina: Embrapa Cerrados.

Schiavo1 B. N. V; Lueni G.T; Manoela M. D, Thales N. G. 2015 Universidade Federal do Paraná1,3, Universidade Federal de Santa Maria2, Universidade do Estado de Santa Catarina4. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n. 2, mai-ago. 2015, p. 1526-1534 Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM ISSN : 22361170

Simão, Paulo Moraes e Alex. (2009). Mapeamento de Uso e Ocupação do Solo. São Paulo : MundoGEO.

Smets,. B., Marcel .Myroslava,. B Erdene T. (2017) Cobertura de terra dinâmica moderada 100m versão. Copernicus Global Land Operations. 62 PP.

Zinga, Constantino Bulali. (2012) A desflorestação em Cabinda: causas e consequências socio-ambientais. PhD Thesis. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Brasileira de Sensoriamento Remoto | ISSN: 2675-5491

 Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn